Gerbil x Acidentes

As frases “Acidentes não acontecem por acaso” e “Acidentes não acontecem, são causados” são bastante verdadeiras e se tratando de acidentes com animais, elas se tornam evidentes.

Então vou falar dos acidentes com gerbos!

Eu particularmente estava bastante tranquilo em relação aos meu pequenos, quando os tirava dos terrários e os deixava soltos pelo quarto onde ficam os terrários.

Eu já havia tomado algumas medidas mínimas para evitar acidentes:

  • Coloquei uma madeira na porta para evitar que eles saíssem do cômodo;
  • Eles ficam soltos apenas sob minha supervisão (salvo os momentos que fugiram dos terrários e eu não estava em casa, eles só ficam soltos quando eu estou vigiando);
  • Me certifiquei de fechar vãos e entradas nos móveis, para que eles não ficassem presos;
  • Tirava apenas um casal por vez do terrário;
  • Me certificava que os gerbos que estivessem nos terrários não pudessem sair e os que estivessem “passeando” não pudessem invadir outros terrários.

Até aqui parecia que todas as possibilidades de acidentes estavam cobertas e nenhum acidente aconteceria.

Eu estava em um dia de caos (muito trabalho, discussão no relacionamento, enfim, bad, bad, bad). Mas mesmo nesses dias não falta vontade de olhar os pequenos se divertirem.

Eu tirei o primeiro casal, soltei. Brincaram por uns 40 minutos e os devolvi ao terrário. Peguei o segundo e os soltei. Como estavam brincando por longe, aproveitei para resolver alguns assuntos no computador!

Fiz umas duas pausas e os pequenos continuavam o passeio. Na terceira pausa eu vi sangue no chão do quarto!

A cadeira na qual eu estava sentado havia prendido o rabo de um deles e cortado a ponta. Não preciso falar que fiquei mais bad ainda!

Peguei o gerbo “acidentado” e lavei o ferimento com soro fisiológico e em seguida coloquei um pouco de pó de mármore (o mesmo que uso para banho). Coloquei papel picado, comida e água em uma gaiola limpa, onde o mantive por 3 dias.

Eu já havia lido alguns artigos sobre os acidentes com os gerbos e embora soubesse que seria uma questão de tempo para a recuperação, eu estava mal com o que havia acontecido.

O rabo do gerbil é frágil e pode quebrar facilmente, mas a quebra NÃO É INDOLOR e o ferimento abre portas para bactérias e infecções que podem gerar muito inconvenientes a até a morte do gerbil.

Na minha lista de verificações acrescentei:

  • Não usar cadeiras com rodas enquanto os animais estiverem soltos;
  • Desligar equipamentos das tomadas, para evitar que eles roam os fios e sejam vítimas de choques;
  • Supervisionar SINCERAMENTE os passos dos pequenos enquanto eles passeia.

A minha negligência acarretou um acidente (nem vou citar níveis de gravidades, porque acidente é sempre acidente!) e se amo os pequenos e quero que eles fiquem seguros, devo cuidar para que nada de ruim os acontece.

Abraços e até mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *