A dúvida dos consanguíneos

Mais uma vez vou dizer: ver os bebês de gerbil em casa é muito fofo! Mas a fofura às vezes tem um preço alto, que tanto os animais, quanto os tutores tem que pagar. Alguns animais pagam com a vida, pela irresponsabilidade do tutor, o tutor presencia cenas de verdadeiro horror por sua negligência. Será que vale a pena ter bebês com os pais de gerbils sendo parentes? Na genética, quando o espermatozóide encontra o óvulo (no casa do gerbil essa ação é plural), começa a ligação dos DNAs. Mesmo que os pais não sejam consanguineos, acontecem falhas nas ligações Leia mais… »

Apresentação de Gerbil: Margot x Fred – Parte 2

Já citei na primeira parte, que os dois brigaram, mesmo já estando há 6 dias juntos e tendo cruzado. Separei-os rapidamente e iniciei a reapresentação. Comecei a revezar o espaço da gaiola e terrário a cada 24 horas, mas os sinais de brigas continuaram. Como já disse, nos dois, haviam marcas de mordidas sérias e cada vez que se encontravam pelas grades da gaiola era início de guerra. Passados 3 dias, resolvi separá-los de vez e tentar apelas para a solidão (ou quem sabe um novo par para cada). Tendo cada um deles dormido 2 noites sozinhos, tentei novamente um Leia mais… »